ACERVO MUSICAL | Consulado da Portela de SP

VAI MESMO

ANTÔNIO RUFINO /


VAI MESMO, PARA MIM NÃO CAUSA PENA
PARA FAZER, NÃO TIVESTE REMORSO
QUERES TE ESCONDER,
MAS A CULPA TE CONDENA
QUERO ESQUECER DA INGRATIDÃO
MAS EU NÃO POSSO

EU TE CONSAGREI
NUM AMOR COMO NINGUÉM
ME FOSTE PERJURA
VAI, Ó CRIATURA, PARA O MEU BEM



CONSULADO DA PORTELA DE SP |